Topo

Ex-BBBs da era pré-internet sofrem com poucos seguidores nas redes sociais

Chico Barney

08/01/2019 14h47

Imagens: Reprodução

O BBB sempre foi um assunto quente na internet, desde os seus primórdios. Alguns dos primeiros blogs do Brasil foram criados com o intuito de comentar o programa e narrar as desventuras de seus confinados em tempo real. Costuma ser também o pico de acessos em qualquer site de notícias durante o ano. É um dínamo!

Mas tudo evoluiu bastante depois que as redes sociais ficaram mais populares. As torcidas passaram a se organizar de maneira mais estruturada com a saudosa "máfia canarinho" pelo Twitter, que popularizou o bordão "o dedo cai, mas o Dourado não sai" no BBB 10. Com a novidade, houve uma profissionalização dos cheerleaders virtuais.

A ascensão do Instagram em solo nacional foi responsável por uma gigantesca mudança de paradigma na função de "ex-BBB" como ocupação profissional. Uma figura outrora relegada à boa vontade dos outros, com presenças VIPs e campanhas de marcas de bairro minguando com o passar do tempo, passou a ter uma sobrevida bastante relevante graças às possibilidades de uma rotina como digital influencer.

A torcida agora segue seus ídolos mesmo depois do programa, compondo bases de fãs extremamente engajados e com alto valor no mercado. Para quem consegue fazer um papel razoável no confinamento e deixa tudo bem organizado com quem comanda seus perfis durante o período, ganhar o prêmio é um mero detalhe. Trabalho e atenção da mídia certamente não faltará.

ANTIGOS CAMPEÕES FAZEM FEIO NA INTERNET!

Enquanto Paula Caroline, a Rainha Midas dos reality shows, faz fama e fortuna com seus posts patrocinados sem ter sequer chegado à final do BBB 18, campeões de outras edições tem presenças online indigentes.

Diego Gasques, o popular Alemão, usa o Instagram com certo desleixo. O macho-alfa da sétima temporada parece ter um perfil mais analógico. Não usa os stories e está desde setembro sem publicar absolutamente nada na rede social. É seguido por apenas 114 mil pessoas.

Dhomini é adepto do perfil de casal no Instagram, algo pouco usual até mesmo para anônimos. O infame artifício costuma ser motivado por ciúmes… Mas o ex-campeão prefere focar sua energia na venda de produtos de marketing multinível. São minguados 30 mil seguidores.

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Fiquei Fã #erijohnson

Uma publicação compartilhada por Dhomini & Adriana (@dhomini.adriana) em

Marcelo Dourado mostra sua rotina de atleta para 32 mil fãs. É surreal pensar que qualquer mahamudra da vida tem pelo menos 20 vezes mais seguidores, ainda mais depois de toda a comoção que a décima temporada provocou na internet.

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por Marcelo Dourado (@maktubdourado) em

Maria Melilo foi a protagonista da 11ª edição do programa. Depois disso, estampou várias capas de revistas, fez sucesso como repórter do Casseta & Planeta e do TV Fama, e também é alvo das mais variadas fofocas até hoje. Mas não consegue engatar profissionalmente no Instagram. São apenas 134 mil seguidores, um número baixo para tamanho potencial.

Visualizar esta foto no Instagram.

 

first day of school ! 📚

Uma publicação compartilhada por Maria Melilo (@mariamelilo) em

Personagens que não ganharam o BBB, mas marcaram época, também chamam a atenção pelos números desalentadores. Priscila Pires, um dos grandes eventos culturais da primeira década do século 21, ostenta meros 182 mil seguidores. E Pedro Bial não é um deles!

Para efeitos comparativos, qualquer Zé das Couves das edições mais recentes consegue uma performance muito mais vistosa no Instagram. Vejam o caso de Manoel e Antônio, os gêmeos que foram notas de rodapé no BBB 17. O primeiro possui 934 mil seguidores, enquanto o segundo é seguido por 873. Existe alguma justiça nesses números? Mesmo a Emilly, uma campeã de projeção menor, possui quase 5 milhões de seguidores (contra 6 da Gleici e quase 7 da Munik, para ficar entre as mais recentes).

Apenas os ex-BBBs que conseguiram se reinventar em outras profissões de sucesso midiático, como Grazi Massafera e Sabrina Sato, eram capazes de angariar grandes séquitos. Agora ficou bem mais fácil: a terceira mais seguida, logo depois das duas supracitadas, é Ana Clara, recém-egressa do BBB 18. E não há dúvidas de que ela conseguiu uma boquinha na Globo justamente pela popularidade nas redes –e não o contrário, como acontecia antes.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

Sobre o autor

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002

Chico Barney