Topo

Cobertura sobre tragédia mostra que Maju está preparada para novos desafios

Chico Barney

26/01/2019 11h55

Foto: Reprodução

Maju Coutinho é o grande destaque da previsão do tempo há alguns anos. Também é a única responsável pelos momentos de improviso e naturalidade no Jornal Nacional. Faz tudo isso muito bem.

Tanto que entrou para o rodízio de apresentadores do Jornal Hoje aos sábados. E calhou de ficar sob sua responsabilidade a condução da cobertura sobre a tragédia em barragem da Vale em Brumadinho, Minas Gerais. Está desde cedo fazendo longas interrupções na programação da Globo.

Uma enorme equipe de repórteres está em diferentes pontos da região, conversando com moradores, parentes de possíveis vítimas e autoridades. Coutinho organiza o jogo com maestria.

Entre uma entrada e outra, equilibra comentários informativos e humanos, evidenciando o absurdo da situação sem maiores afetações.

Assim como Carlos Nascimento no mesmo Jornal Hoje durante os atentados de 11 de setembro de 2001 em Nova Iorque, este pode ser um trabalho para entrar na história.

Cobertura jornalística invadiu o "É de Casa" (Foto: Reprodução)

O jogo de cintura da apresentadora é um trunfo para o futuro do jornalismo televisivo. A supracitada naturalidade com que conduz uma cobertura difícil como esta demonstra que Maju Coutinho está preparada para novos desafios, como um espaço fixo em qualquer bancada da Globo.

Despeço-me na torcida para que as coisas se desenrolem da melhor forma possível para todos aqueles impactados por mais essa lamentável situação em Minas Gerais.

Sobre o autor

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002

Chico Barney