Topo

"BBB" e "Fantástico" chupinham "Tá No Ar", acelerando desgaste do formato

Chico Barney

20/02/2019 18h23

O fim está próximo (Foto: Reprodução)

O humorístico "Tá No Ar" apresenta atualmente sua derradeira temporada. Depois de um começo de ano glorioso, repetiu o modus operandi de sempre, perdendo um pouco do impacto com o passar dos episódios. Além das dificuldades inerentes ao formato, enfrenta um desafio novo: tudo o que o programa tem de melhor está virando pastiche em outras atrações da Globo.

Sérias restrições criativas no BBB

Onde vota para eliminar? (Foto: Reprodução)

O já saudoso BBB18 terminou com uma ótima sacada, Tiago Leifert brincando com programas de outras emissoras que falam (ou não) sobre o reality show. Teve imitação do Nelson Rubens, bullying com o Datena e até uma referência a Sônia Abrão. Era um aceno ao importante legado do 'Tá No Ar".

Mas conseguiram arruinar essa construção na temporada atual. Alguns VTs "divertidões" sobre a casa mais vigiada de Curicica fazem referência ao universo da TV e à estética do trabalho de Melhem, Adnet e companhia.

Escalaram um youtuber que parece sobrinho do Porchat para fazer dublagens dos participantes com um texto paupérrimo. Esse tipo de quadro, em contrapartida, costuma ser muito bem realizado pelo humorístico e a comparação é tão inevitável quanto constrangedora para todos os envolvidos.

Chegou ao absurdo de os dois programas brincarem com "De Férias com o Ex", da MTV, na mesma noite. Claro que os humoristas profissionais se saíram melhor.

Filhotinho no Fantástico

Tá saindo caro (Foto: Reprodução)

Um exemplo mais positivo do processo acontece no quadro "Isso a Globo Não Mostra". Trata-se de uma divertida cruza do "Vídeo Show" com o "Tá No Ar".

Aquela interrupção abrupta da transmissão da emissora é uma referência direta ao quadro do militante que Adnet faz com maestria desde a primeira temporada. Já o conteúdo consiste em uma bem sacada edição do vasto acervo global, com direito a críticas políticas e gestação de memes in vitro. Por mim, tudo bem.

Fora esses dois exemplos mais recentes, tem também a inegável responsabilidade do humorístico na renovação do "Zorra" que outrora foi Total. O sucesso do "Tá No Ar", assim como a inspiração no "Porta dos Fundos", ajudou a tirar os bordões e personagens recorrentes de circulação.

A mesma equipe há de criar uma nova proposta para as loucas noites de verão da dona Rede Globo em 2020. Resta saber se conseguirão renovar a própria influência para continuar ditando novos rumos do humor televisivo.

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

Sobre o autor

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002

Chico Barney