Topo
Blog do Chico Barney

Blog do Chico Barney

Baleada em 2005, apresentadora do SBT supera trauma em clube de tiro

Chico Barney

29/08/2019 17h06

Reprodução/Instagram

Nadja Haddad é um sucesso no SBT. Com passagens importantes no "Programa do Ratinho", é a apresentadora das mais recentes encarnações da competição culinária "Bake Off Brasil".

Antes disso, foi uma popular integrante do jornalismo da Band. Em 2005, durante a gravação de uma reportagem sobre BOPE no morro Dona Marta, no Rio de Janeiro, Nadja foi baleada graças a uma intensa troca de tiros com os traficantes.

A situação fez com que a jornalista concentrasse os esforços de sua carreira para o lado do entretenimento, inclusive de maneira muito bem sucedida. Como trauma, medo de manejar armas de fogo.

Haddad fez um vídeo para celebrar que contornou o revés com aulas em um clube de tiro –além de aproveitar o ensejo para dividir algumas lições desse longo processo com seus seguidores.

"Quero te fazer uma pergunta. Que que você faz com seus medos? Você foge? Você enfrenta? E com seus traumas? Eu resolvi enfrentar. Conta para os seus medos que sua vontade de vencer é muito maior do que eles. Conta para os seus traumas também que eles só serviram como bom aprendizado", narra a ex-jurada do quadro "Dez ou Mil" no Ratinho.

As cenas mostram Nadja desesperada, chorando muito enquanto tenta mirar nos alvos do clube. "É um trauma que você ta vencendo", conforta o treinador.

A narração continua em tom inspirador, com direito a algumas metáforas. "E seja intenso. Sempre intenso. Quando a gente é raso, não corre risco nem de se afogar. Ah, e um último conselho. Grita! Coloca pra fora tudo aquilo que te faz bem ou te faz mal. Não guarda, não. Como todo mundo sabe, o amanhã pode não aconhecer. E o hoje é o seu melhor e maior presente", conclui.

Veja a íntegra do texto que acompanha a publicação.

Nadja em 3 atos (Reprodução)

"FUI BALEADA E VENCI O TRAUMA. VOU TE MOSTRAR COMO!!! 

Há 14 anos fui alvejada e escolhi lutar pela minha sobrevivência. Deus permitiu! Superei toda a dor, mas não todos os traumas. Eu precisava encarar mais alguns ainda. Me colocar do outro lado, estar no controle da situação, permitir que o estampido do tiro me invadisse e eu precisava esbravejar, chorar! Nunca chorei pelo ocorrido, nem no momento em que fui atingida! Eu vivi isso… Senti no coração o que devia fazer e lancei pro Universo. Graças ao meu marido Danilo @danilojoan que me apoiou, ao @instrutor_netto e a atiradora e empresária Carol Geraldini @donna.gun, que acolheram a minha fraqueza e juntos, a transformaram em força e coragem, eu venci e renasci. Hoje, sou membro da ASA, um clube de tiro esportivo, mas que considero o meu melhor centro de terapia intensiva e de alto impacto resolutivo. Nunca revelei isso a vocês, mas hoje, no meu reaniversario, compartilho essa conquista. Conheci um novo esporte, renasci e me libertei. Estou pronta para as maravilhas que o Universo e Deus preparam para mim."

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

Sobre o autor

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002