Topo
Blog do Chico Barney

Blog do Chico Barney

Curiosidades sobre o bardo: Oswaldo Montenegro foi mentor de "Beto Falcão"

Chico Barney

11/10/2018 16h01

Beto Falcão: Origens (Foto: Divulgação)

Oswaldo Montenegro é um dos mais importantes artistas do Brasil. O bardo costuma ser lembrado por canções como "Bandolins" e espetáculos como "Léo e Bia", mas encontramos muitas outras curiosidades e mistérios ao abrir o capô desse possante da cultura popular.

Com o intuito estritamente almanacário, o Blog do Chico Barney apresenta a seguir alguns fatos pouco conhecidos a respeito de Montenegro.

O grande mentor de "Beto Falcão"

(Foto: Reprodução)

Quem vê Emílio Dantas entoando "Axé Pelô" 5 vezes por capítulo em "Segundo Sol" chega a lembrar de um clássico do Oswaldo: "eu sou um chato / meu Deus, não me aguento / só me tacando no mar". Mas a ligação entre os dois vai além do maldoso juízo de valor. Dantas integrou a trupe teatral de Montenegro, antes mesmo de estourar interpretando "Cazuza".

Depois de fazer um teste para a equipe musical do espetáculo "Aldeia dos Ventos" em 2016, o protagonista de novela foi encorajado pelo autor a fazer parte do time de atores-dançarinos-cantores. "Reparei numa falta de pose, numa espontaneidade acima da média." Até hoje são grandes amigos.

Diagnóstico

Aconchego do lar (Foto: Divulgação)

Em entrevista a uma edição da IstoÉ de 2009, Oswaldo abriu as portas de sua casa, totalmente pintada como se fosse uma aquarela muito doida. E também revelou um dado sobre sua condição clínica: "Sou retardado mental. Esse veredicto foi dado por uma junta de oito psicólogos. Sou considerado incapaz para algumas coisas e superdotado para outras, mas não tenho a camada intermediária. Não conheço o aprendizado."

Tenho dúvidas se o termo mais correto para a condição é esse mesmo, mas é a história segundo o autor de "Agonia".

Michael Bay das almas

Montenegro é diretor de cinema. Entre seus filmes, "Solidões" e "O Perfume da Memória", além de uma adaptação de "Léo e Bia". São histórias que convivem em harmonia com o mesmo universo idílico de sua obra musical, mas terrivelmente mais longas.

Lobão é forte candidato a assumir seu legado

(Foto: Reprodução)

Oswaldo Montenegro prepara 3 shows para 2019: uma jam com Renato Teixeira, outra com a banda de apoio e a turnê "Serenata". Se tudo isso ainda não for suficiente para os oswaldetes, ainda é possível aproveitar o discaço que Lobão lançou em homenagem ao rock dos anos 80. Explico: a voz do velho roqueiro nunca pareceu tanto com a de Oswaldo. O estilo rasgado, imortalizado em "Voa, Condor" do bardo, deu um tratamento absolutamente diferenciado aos clássicos do cancioneiro pop tupiniquim.

Lobão não concorda, é bem verdade, mas cabe ao cantor entoar suas pitangas enquanto a crítica especializada debate o valor artístico e estético da obra. E a nossa nota é 10 para ambos os monstros sagrados!

Voltamos a qualquer momento com novas informações.

Sobre o autor

Entusiasta e divulgador da cultura muito popular. Escreve sobre os intrigantes fenômenos da TV e da internet desde 2002